terça-feira, 25 de julho de 2017

Avivamento não é...

Avivamento não é um espetáculo teatral. Não é imitação. Não é apego ao ritual. Não é confusão de sentimentos. Não é apenas seguir formas pré-estabelecidas, como bater palmas, dizer aleluia, amém e levantar as mãos. Avivamento não é pulos, gritos, danças e correrias. Avivamento que apenas levanta as mãos para o alto, mas não as estende para o necessitado não agrada a Deus. Avivamento em que a pessoa apenas saltita e pula, mas não vive em santidade, é ofensa a Deus. Avivamento que apenas verbaliza coisas bonitas para Deus, mas não leva Deus a sério na vida é fogo estranho diante do Senhor.

Avivamento que não produz mudança de vida, quebrantamento, obediência e não leva as pessoas a confiarem em Deus, não é avivamento, é barulho aos ouvidos de Deus.

Mais do que nunca é preciso tocar a trombeta em Sião e condenar a ideia de que precisamos imitar o mundo para atrair o mundo. As práticas mundanas têm entrado nas igrejas, para vergonha nossa e para derrota nossa. O avivamento que agrada a Deus precisa ser em espírito e em verdade. O avivamento precisa ser bíblico, senão é fogo estranho. O avivamento bíblico leva as pessoas a temerem a Deus, a confiarem em Deus. O verdadeiro avivamento leva as pessoas a se voltarem para Deus.

“Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia” (Habacuque 3.2).

Que Deus tenha misericórdia da nossa geração.